excertos

As máquinas funcionam como peças. São objectos parciais. O que interessa é a maneira como as coisas funcionam. A máquina faz de nós máquinas da máquina. Objectos parciais são peças destacadas: as fezes, os seios, a voz e olhar esgaseado. Tentamos mostrar as peças. Depois esperamos que não saia um monstro. O mundo que já é foi produzido. As máquinas funcionam melhor quando estão avariadas. Quando entram em delírio. Máquinas abstractas têm a ver com a estratificação. Aparelhos ideológicos do estado. Nós não somos o que é a ideologia, mas que realizamos, realizamos. O fundamento da razão é o delírio. As coisas fogem-nos não é? A neurose dura. A psicose quebra.

(pausa)

O ponto de vista deforma a coisa e a coisa deforma-nos a nós.

Advertisements

~ by egoista on October 23, 2009.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: