teoria

“Entendo por princípio de “auteur” um método descritivo que procura provar, não que um realizador é um grande realizador, mas o que é a estrutura básica de um realizador. A assunção que está subjacente a este princípio é a de que qualquer realizador cria os seus filmes com base numa estrutura central e que todos os seus filmes podem ser vistos como variações ou desenvolvimentos dela”

por Alan Lovell em Teorias do Cinema por Andrew Tudor

Embora cada raciocínio deva ser interpretado no âmbito da experiência de cada um, discordo pelo seguinte:

1 – um Autor utiliza em primeira instância a sua visão do mundo pelo que, nesse sentido, a variável tempo, pode assumir um papel preponderante na mudança do seu olhar (teria Rainer Fassbinder a mesma imagem da Alemanha de Third Generation (1979) nos dias de hoje?). A metologia do conceito aplicado ao filme seria, provavelmente, irreconhecível. No entanto, o autor continuaria a espelhar a sua visão do mundo, mesmo que isso implicasse uma abordagem temática completamente diferente;
2 – a estrutura central que Alan Lovell descreve poderá dissipar-se sempre que o Autor decidir que a aplicação da sua política de Autor deverá aplicar uma outra política independente/distinta da criada nas primeiras obras. Não creio portanto, que haja uma relação directa entre o corte abrupto duma política e a morte do Autor;

(…)

Advertisements

~ by egoista on May 6, 2009.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: